Warning: ob_start(): non-static method wpGoogleAnalytics::get_links() should not be called statically in /home/viapereg/viaperegrina.com.br/home/home/wp-content/plugins/wp-google-analytics/wp-google-analytics.php on line 259
força | Via Peregrina

Entries tagged with “força”.


Imagine que você já está caminhando há cerca de cinco horas, percorrendo desde as oito horas da manhã cerca de vinte quilômetros. O sol já está forte, afinal, são treze horas e estamos quase chegando à pousada, onde vamos descansar.

Este é o cenário de um dia de caminhada de peregrinação.

Agora, imagine que este dia é o sétimo de uma caminhada. E que, após uma curva, você se depara com uma imensa, longa e inclinada subida. Saiba que esse problemão não é raro em nossas viagens.

Resolvendo um problema

O provérbio chinês diz que “uma caminhada de mil léguas começa com o primeiro passo”. Esse é o primeiro conceito que você tem que ter na sua caminhada rumo à resolução de suas dificuldades. Caminhe, a passos curtos e lentos, na velocidade e na medida que você saiba ser possível seguir e, principalmente ir longe.

Vá com calma. Paciência é uma boa virtude em qualquer problema. Um passo de cada vez, prestando atenção à respiração e à cada passada – como você está se sentindo? Os músculos correspondem? A mente está descansada? Um passo de cada vez. Sinta o momento presente.

A terceira recomendação – sim, já foram duas – é olhar para o topo da subida no começo da empreitada. Tome consciência de onde está o seu objetivo. Depois, durante a subida, não olhe para lá. Símplesmente caminhe, como já dissemos. Em outras palavras, faça, com paciência, o que tem que ser feito. Não se ocupe (esteja DES-PRE-ocupado) com pensamentos sobre as dificuldades.

Caso não resista e olhe para cima. Isso vai lhe desanimar. Talvez o topo esteja mais longe do que você imaginava passo a passo. Como buscar nova motivação? Olhe para baixo. Veja o quanto progrediu e verá que é mais do que imaginava ser. Veja a paisagem – que, a esta altura, deve estar revelando-se para seus olhos. Respire. Absorva a energia do ambiente e sinta o momento presente. Sinta-se vivo.

Nestes passos, você chegará ao topo mais rápido do que imagina. Sem perceber, terá à sua frente o prêmio reservado somente àqueles que ousam subir a montanha – a paisagem do vale, o silêncio, a brisa suave. Sentirá o sabor da conquista, visto somente pelos que se enchem de coragem para enfrentar seus problemas. Ouvirá a voz interior cheia de satisfação, orgulho e, principalmente, realização e alívio.

Finalmente, aproveite o momento. Ele é seu. Resolver problemas, principalmente os grandes, faz parte das situações de maior satisfação pessoal – a da competência. Pense nisso. Até a próxima semana!

Rodolfo Nakamura

  • Share/Bookmark

Hoje, pela manhã, enquanto estava desenvolvendo as primeiras atividades do dia, recebi a notícia. Uma pessoa muito querida partiu. Tive a missão de dar a notícia a uma pessoa muito próxima e que revelou-se extremamente sensível – o que raramente havia acontecido até então. Pus-me a pensar e a sentir.

É muito difícil lidar com a dor da perda. E é natural que a gente se sinta assim. Perder todas as oportunidades de encontro, de palavras doces, de troca de idéias. Todas as palavras que jamais serão ditas ou abraços que não acontecerão pessoalmente.

Mas, como no Universo tudo ocorre simetricamente, por outro lado temos ganhos. A maioria serão imperceptíveis a nós, pois costumam vir somente com o tempo. Estamos falando de todas as lembranças de felizes encontros, de palavras doces, de troca de idéias. De todas as palavras que jamais serão esquecidas ou abraços serão sempre lembrados, porque tudo foi vivido com a intensidade da vida.

As pessoas que amamos ficam sempre em nossa memória, com cores mais vivas do que podemos perceber no dia a dia. Com o tempo, os pequenos tropeços de nosso relacionamento vai ficando cada vez menor, até que desaparece. Permanecem, para sempre, o sorriso, as boas recordações, as qualidades.

Assim, nosso passado vive em nossa memória.

Força. Ele está sempre olhando por nós. Pense nisso. Até a próxima semana.

Rodolfo Nakamura

  • Share/Bookmark